MULTIPLICAÇÃO E DIVISÃO POR 10; 100; 1000; E POR 0,1; 0,01; 0,001; ETC.

 A regra deve ser primeiro que tudo um ponto de chegada antes de ser um ponto de partida. A regra deve ser concluída e não simplesmente dada. Como ponto de chegada, em primeiro lugar interessa realçar que convém marcar com uma setinha os números referidos de maneira a começar no 1 e a dirigir-se para o lado dos zeros. Exemplos:

          O primeiro trabalho dos alunos será marcarem com setas números destes para se verificar se perceberam como se marca a referida seta nos referidos números.

           Tradicionalmente resolvem-se algumas operações (algoritmos) para que os alunos concluam da estratégia a seguir. No entanto, com a concentração exigida na resolução dos algoritmos, cansam-se os alunos e perde-se o poder de observação. É aqui que pode entrar com muitas vantagens a máquina de calcular, porque dispensa o algoritmo, evita o cansaço e aumenta o poder e o tempo de observação no que se passa com os resultados indicados pela máquina.

          Então passaremos quatro operações no quadro preto para os alunos resolverem com as máquinas de calcular e registarem os resultados. Assim por exemplo:

           

 É natural que os alunos vão concluindo que nas multiplicações as vírgulas se movem no sentido das setinhas e nas divisões no inverso delas. E nós, como revisão, vamos lembrando que é natural porque a multiplicação é uma operação directa, logo segue directamente o sentido da seta, enquanto a divisão, que é inversa, inverte o sentido dela.

E sobre os números 12,95 marcaremos, também com uma seta, o sentido que a vírgula tomou no seu movimento de deslocação.    

                 Marcaremos depois outros 4 algoritmos, mas agora com o 100 e a 0,01, a fazer com a máquina. Tomando idênticos procedimentos é natural que os alunos voltem a concluir o mesmo. Nas multiplicações as vírgulas respeitam o sentido das setas e nas divisões fazem o inverso. E é natural que concluam também que a vírgula passa tantas casas  quantos os zeros, quer ande para esquerda ou para a direita.

Idem para 1000 e 0,001.

Idem para 10000 e 0,0001.

              É natural que nem todos os alunos percebam as conclusões às primeiras vezes.

Então há que repetir com outros números, e como é com o auxílio da máquina é rápido e de conclusão relativamente fácil. Diríamos então, como conclusão, que a vírgula se deslocará no sentido da seta se a conta for de multiplicar e ao contrário dela se a conta for de dividir, e tantas casas quantos os zeros do multiplicador ou do divisor. Em todas as contas serão sempre de marcar as setas no divisor ou no multiplicador, no sentido do 1 para os zeros, e no dividendo ou multiplicando depois, respeitando o sentido  dela (seta) se for de multiplicar (operação directa) e invertendo-a de sentido se for de dividir (operação inversa).

 Exemplos:

No mesmo sentido (operação directa) e uma casa.

No sentido inverso (operação inversa) e uma casa.

No sentido inverso (operação inversa) e uma casa.

No mesmo sentido (operação directa) e uma casa

No mesmo sentido (operação directa) e duas casas.

No sentido inverso (operação inversa) e duas casas.

No sentido inverso (operação inversa) e duas casas.

 No mesmo sentido (operação directa) e duas casas.

No mesmo sentido (operação directa) e três casas.

No sentido inverso (operação inversa) e três casas.

voltar ao índice