MEDIÇÃO DE MASSAS POR COMPARAÇÃO DIRECTA          

         O professor arranjará várias massas constituídas por materiais diferentes. Por exemplo: um maço de algodão, um pedaço de esferovite, um pedaço de tijolo, um pedaço de chumbo, um pedaço de cortiça, uma pedra, etc.

         O professor, pegando em duas massas, perguntará qual pesará mais sem lhes deixar mexer. Os alunos tentarão prever qual pesa mais, mas provavelmente alguns falharão, confundidos pela relação volume/densidade.

         O professor continuará a fazer pares de massas, perguntando qual pesará mais, sem lhes deixar mexer.

Provavelmente continuará a haver confusão volume/densidade. E assim por diante.

         Mais tarde, para dissipar algumas confusões, deixará que os alunos tomem o peso dos pares de massas para verificar se as previsões se confirmam. Provavelmente não, e isso servirá para realçar que nem sempre os maiores volumes pesam mais.

          Por fim, para se ter a certeza, comparar as massas numa balança de pratos suspensos improvisada pela  classe, de preferência.

         E assim se farão as pesagens directas dos pares de massas.

VOLTAR AO ÍNDICE