EQUAÇÕES

                No seguimento do que se disse e se teria feito no tema XIII, poderemos equacionar e determinar o valor da incógnita facilmente, procedendo como se segue.

 

Diremos que para determinar o valor de X, tanto num como noutro exemplo, não foi possível usar a 1ª equação, nem a 2ª, nem a 3ª, porque entrava o X na operação, mas foi possível usar a 4ª equação porque usaremos réguas conhecidas e aí, para nos fixarmos nelas, marcá-las-emos com um “aranhiço”, resultando daí a conta que nos dará o valor de X - incógnita.

            Poderemos aqui começar a fazer notar que nas operações directas, + e x, a maior régua fica à direita e sendo um par que poderemos ligar com um arquinho para as assinalar.

            Nas operações inversas, - e : , a maior régua fica do lado esquerdo, sendo também um par que assinalaremos com um arquinho.

voltar ao índice