CONSTRUIR TRIÂNGULOS

        Proponhamos aos alunos que façam triângulos. Cada um pode ir buscar três réguas Cuisen’eu à sua vontade, só que não devem ser todas as réguas iguais às dos outros alunos, quer dizer que não convém que todos os alunos levem para a carteira réguas iguais. A proposta é que cada um com três réguas faça um triângulo ou trilátero. Pode chamar-se trilátero porque foi feito com três réguas - lados e pode chamar-se triângulo porque é constituído por três ângulos (propor que ponham pequenos círculos em cada canto do triângulo para os “obrigar” a reconhecer e a contar os ângulos e a olharem exactamente para o sítio certo). Todos devem começar a construir o seu triângulo ao mesmo tempo e logo que acabarem devem levantar o dedo. É natural que muito depressa muitos levantem o dedo a dizer que já acabaram, enquanto outros se encontram atrapalhadíssimos porque não conseguem dar-lhe o feitio. Cada um dos atrapalhados deve ser ajudado  pelos que foram mais despachados. É natural que o que foi despachado fique agora atrapalhado. Então devemos pedir a outro que foi despachado a ir ajudar os outros dois que estão agora atrapalhados, podendo agora lá ficar três  atrapalhados. A confusão/desequilíbrio aqui interessa para que depois possamos pôr à discussão da turma a razão de tais dificuldades nuns casos e tantas facilidades noutros. É natural que algum mais desembaraçado diga que é devido ao facto de aquele seu companheiro, ou ele próprio, ter uma régua grande de mais.

Poremos a sua opinião à discussão. Quer tenha havido a descoberta da dificuldade ou não, devemos propor que reponham as réguas nos seus sítios devidos e tornem a ir buscar cada um  outras réguas diferentes das primeiras. E voltam a tentar construir outros triângulos ou triláteros no sentido de verificar se agora já são capazes de evitar as dificuldades, usando as réguas devidas. Se voltar a haver quem ainda não foi capaz de evitar o erro, pedir aos colegas que lhe resolvam o quiproquó. O jogo poderá repetir-se as ver se todos os alunos conseguem perceber as razões dos falhanços através das conversas e soluções deles. Por fim, já saberão evitar o erro, o que podem é não saber verbalizar a questão com clareza. Então está na altura de o professor intervir dizendo:

     Num triângulo, nenhum dos lados pode ser igual ou superior à soma dos outros dois.

    Repare-se quantos problemas não foram discutidos e concluídos no fim deste trabalho pela turma.

voltar ao índice