CLASSIFICAÇÃO DOS TRABALHOS DE EXPRESSÕES POR VOTAÇÃO  ENTRE OS ALUNOS                                     

         Classificar trabalhos da área de expressões é sempre uma tarefa difícil pela subjectividade que encerra, chegando mesmo a pensar-se se deverão mesmo ser classificados, ainda por cima por adultos e só por um.

         Assim, pensa-se que o melhor seria que cada trabalho, a ser classificado, o fosse por todos os alunos. Para o efeito proceder-se-ia do seguinte modo:

               Daríamos a cada aluno um certo número de caricas, umas valendo unidades, outras dezenas, outras centenas, etc., consoante o conhecimento que os alunos já tiveram do sistema de numeração.

               A  seguir colocam-se os trabalhos em volta da sala, encostados à parede, mesmo no chão, de modo a que os alunos possam circular.

               Em fila, os alunos vão apreciando todos os trabalhos de todos os colegas, atribuindo caricas (votando), começando pelas de menor valor, com a condição de não poderem pôr caricas nos seus trabalhos.

               Esgotadas por todos os alunos todas as caricas, há que fazer a sua contagem.

Todos os alunos levarão o seu trabalho e as caricas que ganharam, para cima da sua carteira.

               Poderá suceder que haja alunos com mais de nove caricas de cada cor.

               Assim, pediremos que nos tragam 10 unidades que nós trocamos por uma dezena. Feitas todas as trocas das unidades, pedimos que quem tiver 10 dezenas nós trocamos por uma centena. A quem tiver 10 centenas nós trocamos por um milhar, e assim por diante até esgotar as trocas possíveis.

               Agora cada aluno ordena as caricas que ganhou em cima da carteira,

compondo um número. Cada aluno lerá em voz alta o seu número para possíveis correcções.

               Seguidamente escreverá o seu número no seu trabalho.

         Espera-se que com este processo as crianças vejam apreciados os seus trabalhos de modo participativo e “democrático” e compreendam a mecânica da composição dos números e sua escrita

voltar ao índice